sábado, setembro 03, 2011

Bodas de papel?


A louça mergulha na espuma
E a gordura se espalha pela cuba
Da chaleira a água grita
Querendo mergulhar no arroz

E o amor diário posto à mesa
Servido quente como pão fresco
Areja o que eu penso
Ser o casamento.

Um comentário:

Thiago Nogueira disse...

Você escreveu lindamente.

Seguidores

Arquivo do blog