terça-feira, maio 22, 2012

Intimidade


O cravo espremido
Bocejar, um espirro
E outros ruídos, bem menos finos
Lábios arredios
Para o fio dental explícito
Ouvir contra a latrina
Os murros molhados de urina
Enquanto for havendo amor
Me diga: quem é que liga?

Nenhum comentário:

Seguidores