sexta-feira, novembro 04, 2011

O Atravessador

Gullar sabe
Ou deveria saber, ou já soube um dia:
Todo poema nasce do espanto
Mas nem todo verso pula do acaso

Há palavras gestadas
Encadeadas não apenas
Pelo grito caótico-criador
Mas pela vontade medida
E pelo vento de Algures

E aquilo que se entrega
Mesmo que a transcendência
Seja coada pelo cético
Ainda preserva
O frescor divino.

Nenhum comentário:

Seguidores