quarta-feira, novembro 23, 2011

Madrigal do beco

Sirene
Aguda, aguda!
As agulhas geladas na espinha
E o chumbo derretido na barriga

O grito:
Acode, acode!
Fração concentrada do medo
E o tiro certeiro no peito

Era pobre e era preto:
Silêncio

Nenhum comentário:

Seguidores